21 de dezembro de 2018

As Faíscas

Tela: Noc ukraińska (1895), Stanisław Witkiewicz

Com seus finos e ternos dedos
a manhã, tão cheia de zelo,
mantém um fogaréu aceso
quente, pra diluir o gelo.

A vista, porém, desde cedo
sonha acelerar os ponteiros
pois sabe: no frio em seu seio,
só lumes noturnos dão jeito.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).