30 de novembro de 2018

Perdulária

Tela: Feast in the House of Simon the Pharisee (Christ at Simon the Pharisee)
- 1618-1620 - Peter Paul Rubens

Os Céus, seus recursos, confiam
a quem se faz sábia e comedida
e numa época do ano, todavia,
esquece a classe, a economia
e qual Maria de Betânia, num dia,
gasta em aromas em demasia
além de botões a perder de vista
que, abertos, caem e no chão ficam.


O Outro

Foto de John Tann from Sydney, Australia

Pra vista, uma falta dura pouco
e mesmo num inverno rigoroso
fica serena, não busca consolo
pois sabe: o que guarda o broto
logo se mostra e ocupa o posto.


29 de novembro de 2018

Temporadas

Tela: Beacon, off Mount Desert Island (1851), Frederic Edwin Church

A nova décor do cenário
só deixa um ser injuriado,
se ele estiver desligado
do enredo do espetáculo.

Tudo tem tempo contado:
dá-se; então cede o espaço.
Até mesmo o Grande Astro
desponta e some no ocaso.


28 de novembro de 2018

Aparência

Foto de Gemma Stiles from Sydney, Australia

De longe, a visão mais ampla
não garante o apanhado inteiro.
À distância, a mata engana:
parece altiva, mas sente medo.

É que de noite ela se acanha:
folhas tremem e ficam gemendo.
De perto, segredam a ânsia
de que a luz desponte mais cedo.


27 de novembro de 2018

A convicção

Foto de William Waterway

À noite no jardim tranquilo
vê-se a flor cheia de brios
ser fustigada pelo rocio.

O proceder dela tão digno
de aguentar sem um pio
brota do senso convicto

de que o sol não é omisso
e leva cedo (mesmo tardio)
aquilo que a punge consigo.


26 de novembro de 2018

Flor

Foto de C messier

Para P. L.

Coerente desde o rebento,
nunca entrou em dissenso
com o seu temperamento:

ainda que de fora a dentro
vulnerável a sol e sereno
e insetos vários, sedentos,

sugando néctar a contento
sem render agradecimento,
ela segue doce (sem lamento).


25 de novembro de 2018

Inconstante

Tela: Niña (1904), Joaquín Sorolla

A paciência da orla é infinita
(feito grãos de areia juntos)
ante o que chega, e recua.

Nem com a lua lá em cima
à maré, dando um impulso,
os avanços do mar duram.


23 de novembro de 2018

Dignidade

Tela: L'Angélus (The Angelus) - 1857-59 - Jean-François Millet

A tirania só é suprema
sob a ótica do vassalo.
O que faz uma grandeza
é a sujeição, não o braço.

Se o sol tem realeza
é por ser subordinado:
ele reina até a estrema
e sai de cena no ocaso.


22 de novembro de 2018

Imprecisa

Tela: The Widow's Prayer (circa 1864-65), Frederic Leighton

Inspira piedade a balança,
pois erra o peso de muitos.
Se apreça as massas tantas,
não pondera o valor oculto.
É que lhe escapa a pujança
da ausência que dói fundo:
acusa que tem zero grama
um fardo que é de chumbo.


21 de novembro de 2018

Nome

Tela: Dear Lady Disdain (1890), John Lavery

Este tampo de granito,
mas de etéreo feitio,
que reveste um espírito
de que vinha tanto riso
(e agora nem suspiro)
por desdém é conhecido.


20 de novembro de 2018

Afeto

Tela: Les Bineuses (The Weeders) - 1868 - Jules Breton

Por maior que seja a peleja
não pode à lógica se furtar.

Porém, toma uma vida inteira
pra muito semeador captar

que um grão de fina cepa
não dá em qualquer habitat.


19 de novembro de 2018

Isolamento

Foto de böhringer friedrich

Fechado em si, o rebento
mesmo quieto se desola.

Mas, se chega o seu tempo,
o saber também aflora:

quem quer achar o sereno,
melhor dar passos pra fora.


Ingratidão

Tela: Pine of Success and Oumayagashi, Asakusa River
(1856), Hiroshige

Todos dão o que trazem consigo
e a noite se esmera com afinco:
no céu, provê luz a pavios finos;
na terra, gemas (chamadas rocio).

Pra vista, porém, há valor nisso?

Quando o sol sinaliza no cimo,
tanto presente fica esquecido.


18 de novembro de 2018

El quitasol

Tela: Am Goldenen Horn (1884), Leonardo De Mango

Nem tudo o que chega
cheio de calor, de súbito,
encontra acolhida.

O rei mostra grandeza
se aceita, qual um súdito,
que seu brilho evitam.


16 de novembro de 2018

Repúdios

Tela: Interior of the Oude Kerk, Delft (1650-52), Emanuel de Witte

Nem sempre o não retumba
como um acorde claro,
que desperta quem se iludia.

Pode a nota de uma recusa
ser tão alta (não é raro),
que nem o cão apanharia.


O déspota

Imagem: Winter (1897), Alfons Mucha

Na hora em que se avizinha
o respeito que ele impõe é tanto,
que se uns somem de vista
outros se encolhem nos cantos.

Só a árvore não se intimida
e desnuda todo o seu encanto:
o robe com que se cobria
vira tapete pra ele ir passando.


15 de novembro de 2018

Urnas

Foto de Tomspro

Enquanto a folha morta
às vistas de uma árvore
jaz sobre o leito do rio;

é privilégio da memória
não ter perto da saudade
o que descansa no olvido.


14 de novembro de 2018

Fardos

Tela: Sommerliche Landschaft mit einer Wäscherin (1895), Karl Millner

O estivador e a lavadeira
aonde vão causam pasmo:
equilibram uma trouxa cheia
sem aparentar cansaço.

Também uma pessoa alheia
segue - mas não é notada.
Sem levantar uma suspeita,
carrega a alma pesada.


13 de novembro de 2018

Era uma vez...

Imagem: 'The Ladies' home journal - 1948 -
N. C. Wyeth (Newell Convers)

Num dia, alguém cruza a via
e toma um outro pela mão.
Fica assim uma alma cativa:
à mercê da nova situação.

Pra Shangri-lá, ela suporia
que iriam juntos desde então.
Mas fará frio onde algo ardia
e a máscara do guia irá ao chão.


12 de novembro de 2018

O Escafandrista

Tela: View on Overschie in Moonlight (1872), Johan Barthold Jongkind

De longe, sem olhar apurado
pras saliências de quem é plana;
o luar lança mão do contato:
quem vai fundo não se engana.


11 de novembro de 2018

Temperança

Imagem: Plate from the book 
Sylva anachoretica Aegypti et Palaestinae
(S. Maria Aegyptiaca) - 1619 -
Abraham Bloemaert & Boetius à Bolswert

Para H.

Quem, com migalhas, lida
nunca se nutre a contento -
porém traz a alma fornida
pra engolir contratempos.

Assim, é melhor companhia
que o generoso, o avarento -
porque dá pouco, na partida,
não causa falta nem lamento.


9 de novembro de 2018

Compreensivo

Tela: Riviergezicht bij maanlicht (River View by Moonlight)
- 1640-50 - Aert van der Neer

Um ímpeto de pertença
e um diverso de fuga
convivem em todo ser.

A um rio, não é ofensa
se, à francesa, a lua
lhe escapa no alvorecer.


8 de novembro de 2018

Podada

Foto de Azmat akbar

Esconde a placidez da planta
a liberdade que ela ansia,
e que a privam, mãos tantas.

Se o jardineiro à luz do dia
com a truculência da lâmina
não a deixa sair da linha;

com o pulso de governanta
ordena às folhas, a ventania
saudações à lua soberana.


7 de novembro de 2018

Altos

Foto de victorgrigas

Por bem-intencionado que seja,
o limite tem um quê de absurdo.
Por cima, os ramos da parreira
acenam - caçoando de um muro.


5 de novembro de 2018

Arrojado

Imagem: Yanagawa in Kai Province (Kōshū Yanagawa), from
the series Souvenirs of Travel II (Tabi miyage dai nishū)
- 1921 - Hasui Kawase

Sobre as pedras, passa o rio.
Na superfície, como é límpido,
parece célere, mas tranquilo -
como quem não vê os riscos.

Assim na borda ou no cimo,
ante humildes e os altivos,
sem deter-se nos desvios
dá-se ao mar desconhecido.


4 de novembro de 2018

O bem

Tela: The Vine - 19th century - Philip Hermogenes Calderon

Se não a possuem ou vive cercada -
ela parece indiferente a tudo.

Até o dia em que, duas mãos, farta
pois mexeram com ela fundo.