31 de maio de 2018

Alpino

Tela: Hoher Göll im Alpenglühen (Hoher Goell in Alpine Glow) - 1846 - Carl Rottmann

Enquanto a tardinha tremula
e a vista esboça um adeus,
ele, impassível figura,
a tantos assim pareceu
que algo em si dissimula.

Mas eis que desfralda o breu
e nesse divã ante a lua
revela o recôndito eu
que sua feição sempre dura
é aquilo que há de mais seu.


30 de maio de 2018

Ladina

Tela: Lake with Castle on a Hill (1787), Joseph Wright

Por escorrer entre os dedos
o que tem na mão a noite toda,
pelo luar, não cria apego -
e amanhece tranquila, a lagoa.


29 de maio de 2018

Contrassenso

Tela: La Vague (The Wave) - 1896 - William-Adolphe Bouguereau

É por pudor ou veleidade
que o mar tanto refreia
justo quando o clima arde
seus avanços sobre a areia?


28 de maio de 2018

A barreira

Foto de Smihael

Para P. L.

Embora a pose polida
leve alguns ao engano,
toda flor é permissiva:
o que não se ressabia
desfruta de seu âmago.


27 de maio de 2018

Vista grossa

Tela: Moonlight (1902), Lionel Walden

Para P. L.

Ao mar, tudo é perdoável
ante a alta sede da lua:
uma fonte de afeto instável
é melhor do que nenhuma.


26 de maio de 2018

Colheitas

Tela: Gather Ye Rosebuds While Ye May (1909), John William Waterhouse

O que bem se quer, logo pegam -
não fica plantado, de molho.
Essa é a lição que alguns levam
daquele jardim sem adornos.


25 de maio de 2018

Afeição

Tela: Sonnenuntergang (1891), Franz von Stuck

Bem à hora do lusco-fusco
vê-se algo que fica claro:
até pra luz o adeus é duro,
pois se delonga no abraço.


23 de maio de 2018

Nome aos bois

Tela: La Belle Dame Sans Merci (1893), John William Waterhouse

Aferrar-se à tua Fé
e esconjurar o feitiço -
pra quê esse engano?

Se te caem aos pés,
que alcunha pra isso,
a não ser encanto?


22 de maio de 2018

Rumos

Imagem: Two astronomers with Instrument (quadrant) (detail),
astrological-astronomical manuscript compilation (Latin).
Prague (Workshop of Wenceslas)
- 1392-94 -
Fonte: Austrian National Library

De uma altura bem remota,
lições a perder de vista:
o sol, ainda que dê voltas,
sempre cruza uma linha.
No breu, caindo em poças,
e a lua sabe onde pisa.


21 de maio de 2018

O adorno

Tela: Jeune fille au ruban - Henri Lucien Doucet (1856-1895)

Pra tecer a ilusão, um alfaiate
está à mão de toda mente.
Contudo, à hora do arremate,
não se guarnece a cliente.
Esperança, então, se ajusta ao traje
da que só fatos não convencem.


20 de maio de 2018

Porfia

Tela: Mid-Channel, Thomas Somerscales (1842-1927)

É a um mar de incertezas
que faz face a lua -
se hora alguma fraqueja,
todo o tempo tremula!


19 de maio de 2018

No outono

Foto de Dietmar Rabich

Não importa o quanto ela ceda
a saliva, o sangue, a seiva
elas mudam o tom - ficam secas -
e nessa hora, quando chega,
a seus dedos, então sem firmeza,
resta vê-las partir com leveza.
(Impotência é a lição azeda
que um dia tomei da natureza.)


18 de maio de 2018

Antidiva

Tela: Le Printemps (avant 1855), Alexandre Louis Patry
Foto de Ji-Elle

Os olhos verdes do cenário
não comovem a Primavera
nem com todo o seu teatro.
Prima-dona às avessas,
ela responde por seus atos:
chega e vai na hora certa!


17 de maio de 2018

Imagens

Tela: River Scene at Night - 19th century - Elias Childe

É aspiração - desconfio -
de quem, anos a fio,
leva no peito tinindo
alguém nunca mais visto;

a inconstância de um rio
que, com o dia luzindo,
apaga de fio a pavio
a que teve à noite consigo.


16 de maio de 2018

Recepção

Tela: Sunset by William Louis Sonntag Sr.

Anfitriãs, há poucas
como a paisagem,
que tolera uma visita
de pavio curto
sem dizer palavra:

de ponta a ponta,
deixa à vontade
quem está na partida,
ao crepúsculo,
menos esquentada.


15 de maio de 2018

Lêvedos

Tela: Le Goûter (1880), Léon Bazille Perrault

Para P. L.

Qual um pão, por inteiro,
ao ser bem-preparado
sem ter tudo a contento,
e que se vê levedado,

no amor, quem tem menos
não se faz de rogado:
dar-se ao outro é fermento
que o deixa aumentado.


Finesse

Tela: Die Verstoßene (The outcast) - 1495 - Sandro Botticelli

Não é de repente que chega,
pois prenuncia a si mesma:
seja com toques de trombeta
e uns batedores na dianteira
ou tateando a área inteira -
de modo sutil, mas que a vejam.
Se lhe dão as costas, com rudeza,
não a culpem de "indelicadeza":
na perda, é raro haver surpresa.


14 de maio de 2018

Presunção

Tela: Les quatre saisons - Le Printemps (Four Seasons - Spring)
- 1897 - Alphonse Mucha

Ergue o Inverno
palmas ressequidas
e o atende (é bem típico)
a Primavera, generosa.

Orna-o decerto
com sua estamparia
apliques muito finos
berloques de fora a fora.

Por fim, o esperto
a deixa exaurida
mas, pra ele, é tranquilo -
pois sempre ela volta.


13 de maio de 2018

Variações

Tela: Mountain landscape with lightning (1675), Francisque Millet

Trovão é rufar de tambor
que introduz a tempestade,
um interlúdio dos enleios.

Porém, toque assustador
- melodia da calamidade -
só nas notas do silêncio.


11 de maio de 2018

Pertinácias

Foto de ManojKRacherla

É indício de soberba
achar que, pela teima,
se altera a rota alheia.

Mil beijos da abelha
e a flor segue ilesa:
não se move uma nesga.


10 de maio de 2018

Ato heroico

Tela: Clearing Up, Coast of Sicily (1847), Andreas Achenbach

Todos vão se admirando
porque vence o negrume
e, depois, brilha a pleno.

Mas render-se ao oceano
abdicando de seu lume
é que é o gesto extremo!


9 de maio de 2018

Insinuante

Tela: Abendidylle (Evening idyll) - 1883 - Egide François Leemans

Para H.

O real tem muitos lados.
Um é a eventualidade:
algo que pode acontecer.

Cabe ser forte, ao lago
por ver na lua, veleidade -
pois ela nunca vai descer.


8 de maio de 2018

A Noite

Tela: Moonrise (1893), David Davies

Vem a matrona severa
e o panorama se preza
de satisfazê-la depressa:
silêncio, se admoesta
sereno, na parte externa
soturnas, as sentinelas.

Quando tudo se aquieta
- pondo fim às querelas -
vai embora, a austera
e a vista se desespera
por não ter garras certas
pra deter a partida dela.


4 de maio de 2018

Gratuito

Tela: Le Guêpier (The Wasp's Nest) - 1892 -
William-Adolphe Bouguereau

Malsucedido é o labor
por aquilo tudo
que não se gesta na terra.

Não tem raízes, o amor,
mas dá frutos:
sua semeadura é etérea.


Infortúnios

Tela: Apollo pursuing Daphne,
Domenichino and workshop (1581-1641)

O que olha, se enxerga,
conclui bem às pressas
que palmas tão abertas
mendigam - é coisa certa.

E há as que, às cegas,
se alheiam à miséria:
de afeto, vêm repletas
a quem recusa a oferta.


2 de maio de 2018

Confiança

Tela: Starry Night (1850-65), Jean-François Millet

Ah! Com que calma (a toda prova)
saçarica a noite, desenvolta:
poder dar as costas na aurora,
porque, no regresso, cada joia
estará no lugar - como foi posta.