22 de outubro de 2018

Tesouros

Tela: Les Amoureux (Soir d'automne, Idylle sur la passerelle) - 1888 - Émile Friant

Toda face é superfície turva
e pra pescar o que ela oculta
é preciso paciência e astúcia,
também uma isca oportuna
e então saltam à vista arguta
coisas pequenas e graúdas
- a não ser, calmaria alguma.


21 de outubro de 2018

A amazona

Tela: Uttewalder Grund (circa1825), Caspar David Friedrich

Dando de ombros
aos obstáculos na pista,
ele corre rumo ao oceano.

Sobre o seu lombo
e agarrada à sua crina,
a lua vai - mesmo oscilando.


19 de outubro de 2018

Arsenais

Tela: La Primavera (1883), Walter T. Crane

Uma queima seus recursos
- raios e calor, sobretudo -
e não vê reação a seu custo.

Outra, com um sopro difuso,
faz o campo inerte e mudo
revolver-se em um segundo.


18 de outubro de 2018

Tentação

Foto: La Tiera y la Luna fotografiadas por la Voyager 1
el 18 de Septiembre de 1977
- Autor: NASA

Com seu tom, lá do infinito,
a Terra deve parecer um rio.
Teria uma estrela, o ímpeto
de dar nela o salto tranquilo
de uma folha num dia frio?


17 de outubro de 2018

A Visitinha

Tela: Wiosna w Gościeradzu (Spring in w:Gościeradz)
- 1933 - Leon Wyczółkowski

Para P. L.

Foi tanta a hospitalidade
- até Copas, fazendo sala -
e ela não esquentou o lugar.

Qual teria sido a gafe
pra Vista, de mãos atadas,
ver a Primavera escapar?


15 de outubro de 2018

O itinerário

Tela: Frau mit dem Floh, Detail: Kerze (1625-50), Georges de La Tour

Voa em redor, a mariposa-macho
de um ânimo fremente e obcecado,
que ascende um rumo equivocado.

É certo que não leu um breviário
aquele que, no céu, quer um pedaço -
pois quem arde fica mais abaixo.


Chegadas e Partidas

Tela: Sonnenuntergang bei Königsberg, Hugo Knorr (1834-1904)

Quando enfim aportam os fatos,
quem é lento em recepcioná-los
acaba agindo sem nenhum tato
com os novos donos do pedaço.

Feito o sol, ao dar o seu horário,
e em vez de ir como o esperado
finge não ver o apelo do ocaso
e, no cais, se delonga no abraço.


13 de outubro de 2018

Sirène

Tela: The Black Sea at night (1879), Ivan Aivazovsky

Sob a superfície revoluta
que ante as vistas espuma
há uma calma profunda.

Do alto, há quem a intua
e se arrisca: mergulha
no meio da noite escura.

Pois sabe que está segura
em mãos firmes e fluidas,
onde se embala e flutua...


12 de outubro de 2018

Status

Tela: Tod und Leben (Death and Life) - 1910-15 - Gustav Klimt

É nascer e te põem a prumo,
pois meta boa é vertical.
A vida toda sem medir custos,
galgando a escala social.
Um trajeto bastante absurdo
pra quem já sabe o final:
rente ao chão, mudo e duro -
feito qualquer animal!


10 de outubro de 2018

Frívola

Tela: Overschie bij maneschijn (Overschie in the Moonlight)
- 1871 - Johan Barthold Jongkind

Todo o interesse da lua pelo lago
- ela, inconstante e ele, plácido -
a quem assiste não é justificado.

Mas há eras os mantém atados:
afeiçoa-se ao amigo lá do espaço,
mesmo sem ter nele aprofundado.


Zéfiro

Tela: West Wind (1891), Winslow Homer

Sem ter no alto sua parte
nem alguma cá embaixo
inquieta-se nos lugares,
indo e vindo sem um azo.

Parece nômade inveterado
mas porque atiça árvores
e deixa tudo revirado,
é criança cheia de vontade.


8 de outubro de 2018

No match

Tela: Ţiganca (Cigana) - 1919 - Aurel Băeşu

Aquela coisa desejada
que nunca fica à mão
é qual a cigana nata:
ora às vistas; ora não.

Se por acaso se instala
pra nossa estupefação
e é uma aliança larga,
que alívio, se cai no chão!


7 de outubro de 2018

O ardil

Tela: Atardecer en el mar [La ola roja] (Late Afternoon by the Sea [The Red Wave])
- circa 1910 - Joaquín Clausell

A tardinha esmera na roupa
e põe-se assim enfeitada
em uma fuga tão lenta,

que pra quem assiste ela soa
como alguém empenhada
em que o luar a detenha.


3 de outubro de 2018

Mulher de fases

Tela: Abendstimmung am Schlachtensee (1895), Walter Leistikow

É tocante tanto empenho do lago
em detê-la, pra não ir na alvorada.
Mas a inconstância dela é um fato:
já que a leva, na face, estampada.


1 de outubro de 2018

Longitude

Foto de Forest and Kim Starr

Porque o sol, pra ela, tarda
a cruzar os meridianos
a flor, a noite inteira, passa
sempre se perguntando
por que seriam "imaginárias"
linhas que o enrolam tanto.


30 de setembro de 2018

O Coqueiro

Foto de Forest and Kim Starr

Existe uma margem à frente
chamada recato ou rejeição -

por mais que sua palma acene,
dela, a onda não passará não.


28 de setembro de 2018

Frouxo

Tela: Ocean Beach (1905), Karel Špillar

Enquanto o rio se arroja
num curso, desde menino;
num vai e vem até a orla,
o mar é marmanjo indeciso.


26 de setembro de 2018

Um truque

Imagem: Poster advertising Thurston
the magician's reproduction of
the (mythical) East Indian rope-trick

- circa 1927 - Autor: Otis Lithograph Co.

As ilusões são um hábito
que vestimos por precaução.

No confronto com os fatos,
ajusta-se a cada ocasião.

Porém, se fica inadequado
na mudança de estação

e não dá mais pra portá-lo
ante a nova situação,

aconselha qualquer mágico
(todos mestres da ilusão)

que, mesmo o pondo de lado,
aja como se o tivesse à mão.


25 de setembro de 2018

Aculturada

Tela: Chrysanthemums, A Japanese Arrangement (1890-1900), Mary Hiester Reid

O ambientalista tanto sonda,
e, ensimesmado, não sonha
tocar na natureza feminina.

Pra qual flor não é uma honra
sair da luz e ganhar a sombra
num vaso de porcelana fina?


24 de setembro de 2018

A safra

Imagem: Woodcut illustration of Ceres (Roman deity) - 1474 - Johannes Zainer

Semear não é nenhum absurdo -
há muitos que fazem sem querer:
das mãos, saltam num descuido
sementes que se põem a crescer.

Porém, se vem a hora do fruto,
nem todo semeador quer colher.
Assim, mesmo em solo fecundo,
o amor brota e em vão vai romper.


Adúltera

Tela: An Afternoon Stroll (circa 1895), William Merritt Chase

Mesmo dada a quantidade
de pedras, jogadas na face,
segue o fluxo, pois refaz-se
na primeira oportunidade.

Do alto, o céu vê o impasse
se é aparência ou verdade
a lagoa ferida, toda tarde,
transparecer tranquilidade.


19 de setembro de 2018

Sem peias

Tela: Thunersee mit symmetrischer Spiegelung (1909), Ferdinand Hodler

Para P. L.

Uns dizem: "É dócil, aquele moço!".
Ou "volúvel" - na visão de outros.
E assim não se chega a um acordo

de como o céu, que cai num poço
e se estira nas marés com gosto,
dá-se também à gota - quase todo.


17 de setembro de 2018

A Visitante

Tela: Messagères du printemps (1904), Dominique Lang

Ela chega e só com um aceno
extrai bem lá de dentro
o que a vista tem de portento.

Por tornar assim tudo ameno
o anseio dos ares é intenso
pra que se delongue no tempo.

Contudo, o sofá sem remendos
ao Verão, vai logo dizendo
que o pouso dela não é extenso.


16 de setembro de 2018

Armas

Tela: Le printemps by Alfons Mucha (1860-1939)

Basta o frio falar grosso,
que o outono se desespera:
atira o que vê no chão
e, do posto, sai às pressas.

Sem cachecol nem gorro,
vem a campo, a primavera:
só com flores na mão
se impõe e vence a guerra.


14 de setembro de 2018

Hombridades

Tela: Eine hübsche Marktfrau,
 Ferdinand Wagner the Elder (1819-1881)

Quem no ombro traz a tira
da sua bolsa bem-munida
fala de retidão com mestria.

Aos pobres pombos, todavia
a mão que o maná lhes atira
direita ou não, faz-se divina.


12 de setembro de 2018

O amor

Tela: Le baiser (1898), Félix Vallotton

Nesse percurso batido
do entendimento nascido
entre dois indivíduos
há, no fundo, imprevistos
e o familiar aos sentidos
vira um mundo distinto.


10 de setembro de 2018

Arrojada

Tela: Viewing a Waterfall: Women of the Jōkyō Era - 1893 - Toshikata Mizuno


A prumo, no precipício,
pronta pra se atirar,
se joga sem correr risco:
tem vidas pra escoar.

Há pedras em todo rio -
não liga, pois vai nadar,

perseguindo seu destino,
sem querer se desviar -
se ressoa alto aos críticos
é pra não os escutar.


9 de setembro de 2018

O interruptor

Imagem: Morning at Dōtonbori, Ōsaka (Ōsaka Dōtonbori no asa) - 1921 - Hasui Kawase

Metida no penhoar rosa
sonolenta, mas disposta
arrasta-se noite afora
tateando até vir a hora
de ligar a luz, a Aurora.


8 de setembro de 2018

Superficial

Imagem: Five O'Clock Tea (1911), Leo Rauth

Tem afeto com a desdita
de vir de um erro de matiz:

só se chega à cor genuína
depois de vencer o verniz.


7 de setembro de 2018

Inexorável

Tela: Zachód słońca (Sunset) - 1900s - Józef Mehoffer

Ao curso natural, tudo se obriga:
o que foi quente já não extasia.
Esse mesmo sol no pino do dia
se alheia à frente - na tardinha.


5 de setembro de 2018

A barra

Tela: Study for Eagle Head, Manchester, Massachusetts (circa 1869), Winslow Homer

Não subestime a bainha
pela textura sem monta:
essa parte mais ínfima
é que segura a onda
e todo oceano na linha!


2 de setembro de 2018

A Matrona

Tela: Aurora (1814-15), Anne-Louis Girodet de Roussy-Trioson

Logo quando ela chega,
repete gestos calculados:
a baixela dourada à mesa
e os grãos de sal espalhados,
que luziram a noite inteira
a alguns olhos esfomeados,
recolhe e dispõe na ceia
que haverá no outro lado.


1 de setembro de 2018

Pombo-correio

Imagem: In Autumn Woods (c. 1877), Winslow Homer

Vem no ar denso o bilhete,
que não poupa nenhuma vista.

Escapa em cortejo o verde
da entrega que não se extravia.


31 de agosto de 2018

Realista

Tela: Nocturnal scene (1843), Egide Linnig

Para P. L.

Transparece sossego
o que, mesmo afeito,
entende - com efeito -
que é gratuito, o desvelo
que dispensa a seu leito,
pois a lua, bem cedo,
partirá - não tem jeito.


29 de agosto de 2018

A cautela

Tela: The Thorn (1886), Charles West Cope

Passar a pente fino
o instante de felicidade -
ai de quem se descura!

Na rosa, o espinho
é somente um detalhe -
e como ele machuca!


28 de agosto de 2018

Indiscrição

Tela: The Meeting of Antony and Cleopatra, 41 B.C. (1885), Lawrence Alma-Tadema

Na natureza, qualquer segredo
é quase sempre mal-guardado.

Se o clima muda, entrega o gelo
que, da frieza, foi simulacro.


27 de agosto de 2018

O porvir

Tela: Polyphony2 (1932), Paul Klee

Com blocos e argamassa
todos lidam, e poucos notam
que vai se dando em etapas
acidentais ou categóricas
a elevação de uma casa
onde a estada é compulsória.


26 de agosto de 2018

Presença

Imagem: Cooling off at Shijo (Shijo noryo) - before 1892 - Yoshitoshi

Para P. L.

Quem no outro lado se oculta
ao ir embora no poente
de longe, inda parceiro da lua,
a afaga constantemente.


24 de agosto de 2018

A maresia

Tela: The Seashore (circa 1900), Leon Dabo

O afã de suas garras brancas
em renegar o ponto de partida
e, finalmente, se deter na orla

causa compaixão tamanha
pois um quê de onde residia
vai com o que vira as costas.


23 de agosto de 2018

Ilusão

Tela: Schiffbrüchige auf hoher See (before 1880), Théodore Gudin

Sua imponência é rasa:
no choque com os fatos,
quem embarca pode ter

sob a superfície plácida
um navio naufragado
que alguns vão entrever.


20 de agosto de 2018

Niveal

Tela: Winter (1896), Alfons Mucha

Bate às portas um peregrino
e quem se prontifica a aceitar?

É pouco o que resta de viço
e constrange a compartilhar!

Será que uns pensam consigo
se Deus se põe a zangar,

por deixar quem busca abrigo
sentindo-se "sem lugar"?

De norte a sul, meio perdido,
(mas com hora de ir e voltar)

em trapos, quer ser bem-vindo
- sem nada em troca pra dar.


19 de agosto de 2018

Discrição

Tela: The Butterfly (circa 1870), John Henry Dolph

Para P. L.

É talento raro, a reserva:
a semente já manifesta
o que traz escondido nela.

A poucos, é nato deveras:
nada na lagarta segreda
que pelo céu trocará a terra.


18 de agosto de 2018

O Tecido

Tela: Abend - Melancholie (Evening - Melancholy) - 1891 - Edvard Munch

Começa feito de musselina -
suscetível ao que circunda.
Então, troca a matéria-prima:
vai encorpando, a textura.

Passa do organdi à seda fina;
mais tarde, do linho à juta.

Por fim, tão espesso fica,
que quem lida com ele jura
que algo ali, se expandia,
retraiu-se frio, em ataduras.


16 de agosto de 2018

Grandeza

Imagem: The Cedar Tree (1910) -
Autor: Arthur Sanderson & Sons, Ltd.

Não é sábio mover um dedo
contra algo com estatura:
o que se impõe de todo jeito
torna infrutífera a luta.
Embora imponente, o cedro
diante do outono, recua.


14 de agosto de 2018

Máscaras

Tela: Пьеро - Автопортрет в костюме Пьеро
(Piero - Self-portrait as Piero) - 1911 - Zinaida Serebryakova

Por baixo da tenda de estrelas,
o luar faz mais um de seus bailes:
repleto de vultos e silhuetas -
já que é compulsório, o disfarce.

Lá pelas tantas, a alvorada chega
pé ante pé (com pouco alarde).
Acende a luz e, pra quem queira,
mostra quem é quem na verdade.


13 de agosto de 2018

Lusco-fusco

Tela: Evening by the Lake,
Max Nonnenbruch (1857-1922)

Na hora em que o céu vacila
e fica no ar, em suspensão,
o passo seguinte que daria
saindo, enfim, da indecisão

quantos não prefeririam
que persistisse a situação,
em vez da passada que viria
a qual chamam de Escuridão.


11 de agosto de 2018

Consistente

Tela: Galante Szene (by 1900), Carl Ludwig Becker

Para P. L.

Há coisas que se dão num átimo
e levam a pensar "se foi o caso":
como a luz que some num intervalo,
porque um avião (ou um pássaro)
se impôs entre ela e nós, no espaço.

Porém, se num relance, ao acaso
um gesto de alguém estimado
numa hora dessas, é captado
ainda que bem tênue (de fato),
ganha solidez de chumbo. No ato.


10 de agosto de 2018

O Bailado

Tela: Approaching Storm - Beach near Newport (1861-62),
Martin Johnson Heade

Dança na orla com sua saia
de barra branca de organdi:

ora a recolhe; ora a espraia
numa evolução a um triz

de (Deus nos livre) rasgá-la
e, a nós, passar a cobrir!


8 de agosto de 2018

Os Boêmios

Tela: Two Men Contemplating the Moon (1819-20),
 Caspar David Friedrich

O véu a lhe pender no rosto
não foi uma escolha sua,
mas sim um pudor imposto
do criador para criatura.

Assim, não nota os absortos
que se dão a esta busca
de achar, sem um só esforço,
ó Noite: sua formosura!


6 de agosto de 2018

Víbora

Tela: Höstlandskap i aftonstämning (Autumn Landscape in the Glow of Sunset) -
Per Ekström (1844-1935)

Feito um inofensivo batedor,
pra aplainar o seu caminho,
envia, à frente, A Tardinha.

É um truque nada amador:
primeiro, de leve, um sorriso
depois o bote. E é o fim do dia.