20 de dezembro de 2017

Estrelas

Tela: Noc gwiaździsta (1888), Józef Marian Chełmoński

Rezo à noite:
milhares de olhos se apiedam do que é ruim.
Como lenços da boca do mágico,
minha ladainha se desenrola sem fim.
Ternos olhinhos cansados:
recolhem tudo e ainda piscam pra mim!


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).