27 de dezembro de 2017

Bruxuleante

Tela: Pokój (1908), Konrad Krzyżanowski - Fonte: Ablakok

Enquanto fica por cima
e embaixo a parafina chora,
a chama não imagina
que baila sobre a sua cova.


Os Ponteiros

Tela: Antiquitätenstillleben mit Kaminuhr, Josef Schuster (1873-1945)

Essas mãos miúdas
de cautela, cheias
pouco a pouco furtam
outra hora inteira
sob vistas múltiplas.


Prevenção

Foto de Brunhilde Reinig

À hora do lusco-fusco,
cerre bem a cortina.
Embora a muito custo,
se furte desta iguaria:
na prova, vicia um fruto
chamado melancolia.


Descomedida

Foto de Oren Rozen

Nas inflorescências caídas,
vê-se: a Primavera erra a mão.
Até copa frondosa vacila
com os excessos da paixão.


26 de dezembro de 2017

O mágico

Imagem: Passing a coin through sleeve trick by
the magician Will Goldston (1920)

A mágoa some de vista,
embora num truque lento.
Ah, que manga propícia
é essa do esquecimento!


Ato falho

Imagem: Iesus dormiens in media tempestate (Calming the storm)
- 11th century - Autor: Unknown, from the Middle Ages

Quando a pálpebra pesa
sobre a vontade excelsa,
um gesto súbito revela
do Absoluto, a face vera.


21 de dezembro de 2017

Crepúsculos

Foto de User:Jean-Jacques MILAN/Photo misc2

A cartela de quando partem
é mais rica em tonalidades
que a do instante do enlace.
Pra aumentar as saudades,
o dia capricha no arremate.


Penitentes

Foto de George Hodan

Em compasso de espera
pelo Céu que se acerca
rosa alguma se exaspera
pelo cilício em volta dela,
mas no leito só de pedra
que rio tira uma soneca?


Pela calada

Foto de Ewald Gabardi

Num ponto obscuro aferrada
distante e ensimesmada
a julgam perdida, sendo levada.
Mas à tardinha saiu de casa
com uma rota bem-pensada
que segue à risca, aplicada.
E quando vem a alvorada
quem parecia "não querer nada"
cruza uma linha de chegada.


Perspectivas

Tela: Høstaften ved Hjortekæret, Jægersborg Dyrehave
(1888), August Andreas Jerndorff

Se para alguns ela paira
a noite toda sem pausa
outros tantos reparam:
em rios, lagos ou praias
tão logo voa, já pousa -
a lua é garça prostrada.


20 de dezembro de 2017

Memorabilia

Tela: Recalling the Past (1888), Carlton Alfred Smith

Como condenar o escaravelho,
arrastando o que não presta,
se o que passou nós agarramos?
(Pra onde vai, a gente leva.)


Estrelas

Tela: Noc gwiaździsta (1888), Józef Marian Chełmoński

Rezo à noite:
milhares de olhos se apiedam do que é ruim.
Como lenços da boca do mágico,
minha ladainha se desenrola sem fim.
Ternos olhinhos cansados:
recolhem tudo e ainda piscam pra mim!


18 de dezembro de 2017

Nudez

Foto de Marina Shemesh

Durante a chuva, a janela
ganha fino traje de festa.
Quando acaba, um a um,
os cristais se desfazem,
deixando a janela rota
e a paisagem a descoberto.


Cio

Tela: Lost (1886), Frederick McCubbin

Hoje cruzei com um cãozinho
que corria com tanta decisão,
que eu (animalzinho perdido)
me pus atrás dele -
atiçada pelo senso de direção.


Abnegada

Tela: Charity (1878), William-Adolphe Bouguereau

Meu colo vazio não é seco:
minha fecundidade é absurda.
Eu só antecipo a perda,
abrindo mão logo de tudo.


16 de dezembro de 2017

Área Restrita

Imagem: On the Beach -- Two Are Company, Three Are None,
a wood engraving drawn by Winslow Homer and
published in Harper's Weekly, August 17, 1872

Quatro câmaras
Dois átrios
- tanto espaço! -
e eu não posso morar
em nenhum pedaço.


Amor no início, lençol no varal, barco no rio

Foto de Michael Gäbler

Ao gosto da enchente
este vai à deriva.

Ao sabor da corrente
aquele torce e se vira.

Sem o que o enfrente
o primeiro não vinga.


Braços Cruzados

Foto de RuB (Ruddy BENEZET)

Encosto a enxada e a pá:
na aurora ou ocaso
o terreno, é inútil sulcar.

As mãos descansam por ora:
não lavoro,
mas também não vou mendigar.

O que eu quero irrompe a sua hora:
paina que salta do galho
e pousa depois de-vagar.


Efeitos

Tela: Der Häuserbogen II („Inselstadt”) //
Crescent of Houses II (Island Town) - 1915 - Egon Schiele

Nos telhados, o ardor do dia.
Como algumas cabeças, fervilham.
O que vai dentro purifica, endurece ou amacia?
Tanta coisa, em brasa, outra coisa vira.
O homem, não:
só se encharca e se amofina.


15 de dezembro de 2017

A Colheita

Foto de Roman Eisele

Para alguns frutos, chega no outono o rebento:
acontece quando estão secos e, abatidos,
rolam de um lado a outro, sem alento.
É nessa hora que um menino
- desses que catam coisas no cimento -
os recolhe, os leva pra casa (umas cascas velhas!)
e os guarda em sua caixinha de tesouros,
cheio de encantamento.


14 de dezembro de 2017

A mão bruta

Tela: Penelope (1864), John Roddam Spencer Stanhope

Ame o fruto que a árvore te oferta, gratuito:
tem o desejo de ser violado, patente.
Se tua mão não for leve (infortúnio!)
chega o tempo com a dele, bruta
e o que não era pra tomar friamente
ele tasca no chão e macula.


11 de dezembro de 2017

Deuses

Imagem: Illustration by Harry Furniss in Sylvie and Bruno (1889) by Lewis Carroll

Voava aqui um besouro onipotente
grande e de zumbido insistente
que me acuou e fez gritar prontamente.
Nenhum de nós, porém, tinha em mente
que esperava ali, mais à frente,
a inversão dos papéis de repente:
assim que pousou ao chão rente,
foi-se o ar altivo (ou equivalente)
e sem tempo de estarmos ciente
- num olho por olho, dente por dente -
pela casca, o nivelei para sempre.


10 de dezembro de 2017

À noite

Tela: Moonlight (1893), Edvard Munch

Quem pensa que tudo silencia
é porque não prestou atenção.

O dia reserva a algaravia
pra hora da escuridão.

Grilos e feras principiam
esse agudo refrão.

Nas almas não redimidas
ressoa grave, um senão.

Só a hora matutina
rearranja a composição.

Até lá, um solo sentencia:
os que velam não escaparão.


7 de dezembro de 2017

Efeitos

Tela: La Petite Mendiante (1880), William-Adolphe Bouguereau

Para P. L.

Não subestime a tua oferta:
é um prodígio o que ela faz.

O luar que entra pela fresta
um quarto, pode iluminar.

Uma gota pra alma repleta
e tudo põe-se a transbordar.

5 pães e 2 peixes na mão certa:
bocas se fartam e deixam sobrar.


5 de dezembro de 2017

Comprimido

Tela: The Lady of Shalott (1888), John William Waterhouse

Tão exíguo, mal se distingue
o que enche a alma de vida!
(Quem entende o coração?)

Basta o relance do ser insigne
para aquela que ia à deriva
enfim encontrar o seu chão.


4 de dezembro de 2017

A Lição

Tela: Las horas tristas (The sad hours)
- circa 1900 - Ramon Casas i Carbó

Chora às escondidas
quem, afoita, apossa
de sua pérola mais fina
ao que não se importa.

Qualquer ostra ensina
esta lição preciosa:
só aquele que se digna
alcança a sua joia.


3 de dezembro de 2017

A Emoção

Tela: Nocturne (1887), Eilif Peterssen

Nem sempre vem à luz e só quem a leva
tem a justa noção da grandeza dela.
Não ser qual um lago, a mim, exaspera
pois à vista de todos, a lua, ele gesta.


2 de dezembro de 2017

Trincheira

Tela: Blow Blow Thou Winter Wind (1892), John Everett Millais

Preserva-a assim, deserta:
ao que se impõe de todo jeito,
boa estratégia é sucumbir.

Se o frio invade, é coisa certa
que tomará do hall ao leito -
e vai passar, quando convir.