13 de novembro de 2017

Carpe diem

Foto de dan carlson dan_carl5on

Sem ter como sair dali, aquela poça
põe-se a desfrutar do aqui e agora:
sacia o gato e também uma corça,
ganha beijo da lua cheia e da nova
e a carícia de uma pipa tarde afora.

Até que, de tanto entrarem de sola,
(nem tudo é sarro nessa história)
vai se desfazendo e, numa hora,
qual na Assunção de Nossa Senhora
o que resta de si, no fim, evapora.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário