1 de março de 2017

A stripper

Tela: La Nuit (1883), William-Adolphe Bouguereau

Se te der, qualquer dia, na veneta
manter por horas erguida a cabeça
verás, da manhã, a delicadeza
em devagarinho se mostrar inteira:
tornozelos, ancas e tetas
até chegar à insinuante cabeleira,
que ela solta por volta das 6 e meia,
devidamente ornada (por ela mesma)
com um diadema irresistível de estrelas.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.