18 de dezembro de 2016

Ocaso

Foto: Cuatro Torres Business Area desde Paracuellos, Madrid, España, 2016 -
Autor: Benjamín Núñez González

A luz não é sucinta ao se despedir.
Qual uma tia cheia de histórias,
ela fica na soleira da porta, ao partir.

E toca lânguida e insistentemente
na face dos vidros, dos muros,
dos galhos, dos cumes,
marcando tudo com um beijo amarelo,
que o breu é destro em cobrir -

pro sossego das corujas, das estrelas
e das amantes ciumentas
que não desconfiam
de quem se demorou por aqui.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.