23 de junho de 2016

Temporãos

Tela: Self-Portrait (Madrid), detail eyes - 1498 - Albrecht Dürer

Para el

Seus olhos têm a cor do outono,
quando esfria com o verão
e flerta com o inverno.

São parelha na entressafra demorada:
pouca seiva, nenhum fruto -
nada, pra quem espera.

Olhar onde o apetite se oculta
sob uma mantilha de folhas -
que um dia o volume entrega.

Barcas ancoradas, mas inquietas.
Por vezes, painas que rolam incertas.

Pra quem os meus fazem figa, torcem
pra que se assentem e vicejem logo -
independente da primavera.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.