10 de junho de 2016

O espelho

Tela: Der Maler und Jo (1928), Ernst Oppler

Aquele rosto bonito
ultimamente é só o que vejo.
Pra saber o meu feitio
o foco dele, eu não perco.

Não me olhe assim, meu amigo:
não somos alheios.
Embora não se atente pra isto
o encaro o tempo inteiro.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.