12 de março de 2016

Modinha à Pátria Alheia

Tela: Disappointment (1882), Julius LeBlanc Stewart

Vou respeitar a fronteira,
não vou ultrapassar.
Vou ficar da linha desejando
o pouco que consegui divisar.

Uma mata densa, fechada,
uma grande ave a se ouriçar.
Um rio oculto, caudaloso,
o qual eu não pude provar.

Há olhos pra todo lado,
seria arriscado cruzar.
Vou ficar aqui esperando:
meia-volta, meu coração não quer dar.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário