28 de março de 2016

A buzina

Foto de cyclonebill from Copenhagen, Denmark

A buzina de um vendedor
visitou a minha rua.
Por Deus: uma relíquia pinçada,
plantada sem licença alguma!

Em volta, o passado virava agora
sem nada de sensação futura -
quando bastava pra ficar contente
da amiguinha, a mão segura.

Som de buzina vão e dolente:
não para, não obstante minha luta.
Teima em oferecer no presente
algodão-doce pra compensar as agruras.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.