21 de fevereiro de 2016

Profunda

Tela: Pensive (La Songeuse) or Jeune femme vue de profil
- 1875 - Pierre-Auguste Renoir

Não sou cigarra:
não deixo unha crescer
pra dedilhar violão.
A minha, eu acerto
pra tocar na ferida,
chegar aonde é escuro
e há choro e ranger de dentes.
Não escapo do que é profundo.
A minha unha, eu encravo:
na dor, vejo tudo em paz -
distintamente.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário