21 de fevereiro de 2016

A Rainha

Imagem: Nuda veritas (1902), Gustav Klimt

Precisava ser tão bruta?
Arrancar da língua a palavra
tornar branco o rubro?
Dobrar arbítrios
impor seu jugo?
Esmagar a esperança última?
Arrebatar de uma vida triste
o contentamento único?
Tudo isso, de cetro em punho.
Seus vassalos estendem à frente
- sem escrúpulo -
o que até quem não quer ver
reconhece num segundo.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.