9 de setembro de 2015

Meus Fios

Tela: Woman in Blue Combing Her Hair - 1920 - Goyō Hashiguchi

Eles sempre se soltam:
vão demarcando território.
Viram pistas de onde estive
(às vezes volto, às vezes não mais);
DNA nas cenas onde nada acontece
ou tem algo que vai parar nos jornais.

São linhas coloridas
que se camuflam na paisagem,
mas que aos poucos desbotam
e se sobressaem.
Livres (mesmo presos) e
leves (vez em quando um fardo),
seu destino não tem limite.

Ou quase:
a um lugar, ainda não foram.
Um só, não visitaram.
Num dia que eu almejo
nesse seu corpo extenso
hei de deixar um feixe grudado.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário