6 de setembro de 2015

Feromônio

Tela: Moonlight, Wolf (1909), Frederic Remington

Noite de chuva, cortina aberta:
flashes piscam no quarto.
Pelo eriçado, dorso nu:
uma pose seguida de outra
pra um voyeur intergaláctico.
Noite de chuva, território úmido:
quando vem por quem se arde?
Confuso, o lobo dá mil voltas
sem farejar os apelos da minha carne.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário