16 de agosto de 2015

A florista

Tela: Chloris - A Summer Rose (1902), John William Godward

Todos os dias ele abre o portão
e meu sorriso vermelho é uma flor que cultivo
com todo o cuidado.
E ele a recebe, mas não sei o que faz:
coloca num jarro? A deixa de lado?
Meu dever é a entrega, conforme o patrão:
meu coração enlevado
que não aceita desculpas, muito menos atrasos.
Todos os dias a meta é a mesma:
a flor desmanchar num beijo roubado.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.