16 de julho de 2015

Paradoxo

Tela: Separation (1896), Edvard Munch

Pontas de cetim não se suportam:
no andar das horas se apartam
cheias de leveza, sem culpa.

É áspero o nó que se atura:
judia, nodoa, desfia -
não tem beleza nenhuma.

Por isso um laço desfeito
é mais forte que o nó que perdura.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.