21 de maio de 2015

Refém

Foto: Grande sauterelle verte (Tettigonia viridissima Linnaeus, 1758) - Autor: Didier Descouens

Ia tranquila pela vida,
mal derrapando nas curvas,
amar me pinçou dessa via
e me cravou numa trilha escura.

Como inseto recolhido d'onde estava
e colocado com alfinete no isopor,
fui ferida e enredada
quando olhei pro meu amor.

Neste plano novo, cativa
choro, mas não soluço.
Na paixão não há enigma:
só o tempo liberta do jugo.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.