1 de maio de 2015

O arremate

Tela: Hafen-triest (1907), Egon Schiele

Ficaste na dobra do tempo
como possibilidade.

Vinco doído
que se faz presente,
porque não deixo passar.

Olhar enviesado,
abraço desmedido
e beijo esboçado
também criam laço -
como amor ajustado.

Mas tão frágil!

Em doca desalinhada,
o arremate pro meu navio
é naufrágio.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário