12 de maio de 2015

Aves

Foto de Dnalor 01 (CC-BY-SA 3.0)

Mais uma vez pousa a noite.
Aos afortunados, traz nas asas o sono.
Outros, como eu, digerem suas penas.

E da janela a vemos, novamente, revoar
pra dar a vez à manhã:
gaivota soberana sem compaixão pelos insones.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário