16 de abril de 2015

Primavera

Tela: Våren (1907), Carl Larsson

No cesto, o mamão
se pinta de cor quente.

No vaso, brotos
se empinam das sementes.

Nas bestas, seres
se estiram no ventre.

Cá dentro, o desejo
se espraia da nascente.

Lá fora, o ceifeiro:
vou capitular totalmente.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.