18 de abril de 2015

Marta apaixonada

Tela: Cristo en casa de Marta y María (1620), Diego Velázquez

Seu silêncio me legou
a incumbência
de preencher meu tempo
com tarefas.

Nem a paz do Redentor
me aquieta:
de um lado a outro vou
para cobrir a sua ausência.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário