11 de março de 2015

Vida

Tela: David (1899), Jozef Israëls

Melodia sinuosa
que escapa da harpa -
assim é uma vida.

Pra uns, doce aos ouvidos.
A outros, descomedida:
dão-lhe as costas.

Dependemos do afã
de quem dedilha as cordas.

Quando se cansa,
ela silencia -
apitos, roncos e cuícas
preenchem o ar.

A uns tantos (poucos),
a saudade fica.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário