25 de março de 2015

Incoerente

Tela: Frau am Strand von Rügen (ca. 1818), Caspar David Friedrich

Mísero tempo:
ofusca teus traços,
mas inflama minha querença.

Mísero tempo:
abafa tua voz,
mas sublinha tua presença.

Mísero tempo:
me embaralha a lembrança,
mas clareia a consciência.

Mísero tempo:
te torna longe, estrangeiro,
mas imprime minha pertença.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário