16 de março de 2015

Clemência

Tela: Nighthawks (1942) by Edward Hopper

A noite devora a paisagem:
ela perde a silhueta.

Colhe os frutos das árvores,
engole montanhas,
mastiga torres e pontes:
nada é indigesto.

Restam os postes,
o grande relógio da Raul Soares
e as janelas de quem - como ela -
mantém a fome acesa.

A noite é fria:
só poupa os que ardem.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.