30 de março de 2015

A paisagem

Tela: Paisagem de Ouro Preto (1876-86),
Henrique Bernardelli
Como a paisagem é branda,
vista da janela!
A cidade,
um Pipiripau fora de época;
as nuvens,
estáticas feito pedras.
Como calda da panela,
o dia escorre lânguido e certo.

De perto, porém,
a mãe queima o arroz
ninguém dá bola pro avô
um casal, em vez do almoço,
pula a cerca
um homem salta o muro
pra abater a companheira.

Foco ajustado
e não há calmaria:
a paisagem é dor e movimento.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário