9 de fevereiro de 2015

O Fardo

Tela: Venus and Cupid - 17th century - Roeloff van Zijl

Meu peso aumentou,
meus passos são lentos.
Bastou conhecê-lo:
o carrego aqui dentro.

Nada tirei, e tudo mudou:
minhas coisas, num canto;
você, bem no centro.

O amor é um fardo
que não curva a espinha:
é pensar no meu núcleo
e me aprumo em dois tempos.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.