7 de fevereiro de 2015

A lida

Tela: Peasant woman binding sheaves (after Millet) - 1889 - Vincent van Gogh

Meus dias são capim cerrado -
a mim,
compete manter a vista da estrada.

Não há poesia no pó, no chão,
na enxada:
o batente
deixou minhas mãos machucadas.

Mas vou em frente:
do canto do galo
à hora de descansar da cangalha.

Há jeito melhor
de lidar com a saudade?

Na tarde em que o vi,
virei camponesa ocupada
e meus sonhos ficaram rurais:

Eis-me vereda
e você, luar que me despe
aqui nas Gerais.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário