3 de fevereiro de 2015

A fruteira

Tela: Mamão e melancia (1860), Agostinho da Mota

Que tentadores
os frutos vastos:
mamão roliço,
melão inteiro,
melancia
antes do talho.

Com que gana
se atiram a sua polpa,
que displicente
denuncia a gula,
lambuzando toda a boca.

Mais abaixo no plantel,
ei-las delicadas:
cerejas,
acerolas
e a uva moscatel.

A alguns, apetitosas
e só a eles, o seu valor:
escondidas dos olhares
sob o palato,
dão gozo numa dentada
sem entregar o pecador.

Tela: Still Life with Strawberries, Cherries and Gooseberries in a blue and white porcelain bowl
with two salsify roots, all resting on a wood table (1630s), Abraham Gibbens


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário