20 de janeiro de 2015

Metamorfose

Tela: La Toilette (1875), Étienne Tournes

Sabonetes líquidos
arrancam o meu couro -
alergia adquirida há anos.

Vão lavando
e escamando a minha derme -
como o bebê
que esqueceram na estufa.

Amiúde,
por dever de higiene,
perco as cascas
uma a uma.

No espelho,
o que era jacaré
ganha essência de molusco.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.