25 de setembro de 2014

O Pote

Tela: Young Girl Going to the Spring (1885),
William-Adolphe Bouguereau
Meu potinho
cheio de dias
carrego com todo o
carinho
para não dissipar.

Dou passo de bailarina
salto, galopo
e me arrasto -
faço de tudo
um pouquinho
pra água não derramar.

Às vezes ergo
meu braço,
o sol vem e bate -
faz um tanto
evaporar.

E mesmo quando
há chuva -
ai de mim -
não posso mirar
o meu pote
pra umas gotas
ajuntar.

Cada noite que passa
é um a menos
comigo,
mais pobre eu fico -
e menos viva também.

Às vezes me pego
chorando:
não adianta
tanto cuidado.

Num dia
que eu não espero
um sopro
na minha nuca
deixa meu pote virado.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário