21 de setembro de 2014

Maria da Penha

Tela: Totes Mädchen (1910), Egon Schiele

Começa muito pequena.
Suporta tempo ruim.
É ponte pra formiga
abrigo pro caramujo
pote de seiva
trampolim pra coruja.
A olhos vistos
atinge um porte
que supera o muro.
E mesmo roliça
de folhagens amplas
é vulnerável
ao facão do dono
que num dia de porre
sem razão aparente
simplesmente a derruba.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário