17 de agosto de 2014

Estima no alto

Foto: Stars Gather in 'Downtown' Milky Way - 2011 - NASA/JPL-Caltech

Do que me importa
ser um cisco
se como o sol
também giro
sem cabo
na escuridão?

O destino da estrela
fria,
daquela quente,
de toda estrela
está escrito:
fenecer como eu.

Os anéis de Saturno
(aros brilhantes)
não passam de pedras
que rolam -
de perto, tudo é banal.

Igual aos cometas,
corro.
Qual asteroides,
caio.
A rotina da gravidade
traga
os satélites e eu.

Olho pro céu e suspiro:
estou à vontade
e integrada
como qualquer habitante
do espaço sideral.

Foto: Center of the Milky Way Galaxy III – Chandra (X-ray) - 2009 -
NASA/JPL-Caltech/ESA/CXC/STScI - NASA JPL


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.