24 de julho de 2014

Terror noturno

Imagem de K Whiteford

Larguei depressa -
o prato cheirava ovo.
E o bolo
era de baunilha -
confusão
entre cheiro e gosto.

Bem que mamãe
dizia:
"Não tira
do escorredor.
Deixa
secar sozinho".

Teimei.

A fome
'inda tá viva:
metade
ficou ali.

No peito
um receio plasma:
no caminho
até a cozinha
- à noite -
topar
com os meus fantasmas.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.