22 de julho de 2014

Sem armas

Tela: A Little Nimrod (1882), James Tissot

Papai do Céu,
devolve
a ignorância!

Como é bom
não saber.

Não saber
que do outro lado
do rio
tem uma casa.
Que plantei
com todo o cuidado,
e nasceu
umas frutinhas parcas.

Não saber
que asteroides e carros
batem.
Nem que o sol,
como a lâmpada,
um dia acaba.

Não saber
que existem o Klimt,
o Klee e a O' Keeffe.
Nem que o Borges
escreveu poesia.

Não saber
lavar as mãos,
nem a comer
sozinho.

Como é bom
rezar curtinho,
sem as voltas
que o Credo dá.
Como é linda
a Bíblia infantil:
muitos desenhos,
poucas palavras.

Como é lindo
não ter rabo preso,
língua comprida,
nem passada
maior que a perna.

Ser diminuto,
pequenino -
feliz num cantinho,
sem arsenal.

Ignorante. Ignorado.
Inodoro ao mundo cão.

Tela: A Portrait of the Daughters of Ramon Subercasseaux, Anders Zorn (1860-1920)


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.