27 de julho de 2014

Macieira

Foto de Anne Lowe

Seria bom colher amigos
como se colhe uma maçã.

Eu já escolhi o meu:
apetitoso fruto
que a terra deu.

Cobiço sua amizade
como quem sai do jejum.

Mas estou longe,
do outro lado da cerca.
Num campo esgotado,
entre pedras
e um riacho seco.

Minha maçã:
manjar
que fartará outros gostos.
O amigo de muitos,
que jamais será meu.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.