29 de junho de 2014

Traçando um peixe

Tela: Der Goldfisch (1925), Paul Klee

Meus olhos pesam
e começo a sonhar
com um peixe.

Coisa chata
é comer
tendo que separar
espinhas.
Que me engasguem:
ver o mundo
no sufoco
vai ser divertido.

Enquanto engulo,
penso em São Brás
e no limão que exagerei.

A cabeça sobra na
travessa.
Atravesso a areia.
O som do mar
não embala: embrulha.
A vida só escorre.
Não retorna jamais.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.