29 de junho de 2014

Homem

Tela: Kniende mit hinunter gebeugtem Kopf (1915), Egon Schiele

Não fale.
Não estrague.
Não precisa:
seu corpo
é um megaphone
inteiro.

Você é bonito.
Minha histeria
prova
que penso o contrário
de mim.

Então o observo
deste lado de cá
da ponte -
lembrando que ela é
quebrada.
Minha tristeza:
nunca poder tocá-lo
e você nunca
me ouvir.

Mas
posso sonhar.
Que desse mundo
em que está -
onde as portas
ficam abertas -
se abstenha
pra notar meus quadris.

O que desperte
o predador em você:
pronto pra me devorar
(e a quem vou redimir).


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.