13 de junho de 2014

Hiroshige

Tela: Grounds of Kameido Tenjin Shrine
(from One Hundred Famous Views of Edo) - 1856 - Hiroshige

Um detalhe
me faz comprar uma obra.
Hoje mesmo,
um pintor japonês
foi parar na estante:

"Ele não viajou pra pintar.
Se inspirou nas revistas".

Ah, que barato!

Ondas enormes,
montanhas rosadas,
árvores choronas
inventadas.

Tudo nesta vida
é sonhado.
Um coração escuro
acha cerejeiras chatas.

Hiroshige expõe
peixes, águias,
gueixas, ruas
como coisa de outro
mundo.
Objetos reconhecíveis,
mas só por ele revelados.

Tela: Suidō Bridge and Surugadai (1857), Utagawa Hiroshige I


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.