1 de junho de 2014

Carrinho de Supermercado

Tela: Branco sobre Branco (1917-18), Kazimir Malevich

Vamos lá esvaziar a mente.
Deixá-la Branco sobre Branco
(cinza-azulado, no máximo).
Na minha mente-carrinho
de supermercado,
em vez de pôr,
vou botar fora.

Nada de grãos, enlatados,
supérfluos, leite desnatado.
(Meu carrinho avoa
pelos corredores.)
E quando vem a moça do caixa,
"Não comprei nada, obrigada".
Tirei tudo -
avesso de supermercado.

Feliz com o meu vazio,
retorno ao estacionamento,
abro o vidro (sinto o vento):
fiz-me nova criatura -
sem nenhum tormento.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.