26 de maio de 2014

Quando o debaixo atinge

Tela: Young Woman at a Window (1640),
Jan Victors

Às vezes
o que vem debaixo
atinge sim.
Quando estou no quarto,
a rotina do vizinho
me sobe toda.

Abobrinha refogada,
fritura com óleo velho,
pipoca.
Risadas, debates,
boleros, pernilongos.
Fumaça de cigarro.

Como estou acima,
só atinjo meu vizinho
quando piso de salto,
cismo ser Tostão
ou um livro, copo,
batom caem no chão.

Não sei que forma
ele tem,
que time ama,
se manca,
tem caráter, fama.

Mas estamos tão ligados
- por sons, cheiros,
passos, desastres -,
que qualquer dia
lhe bato à porta
e digo: "Suba.
Venha tomar parte".


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário