27 de maio de 2014

O copo dele

Tela: Luncheon of the Boating Party (1880-81), Renoir

Ele deixou um pouco
da boca no copo.
São 3 e 15 da tarde.
O lugar tá cheio.
Todo mundo olhando.
Um pouco dele tá aqui.
Que delícia de boca,
de língua,
de hálito, de dentes.
Queria tudo pra mim,
até mesmo seus dedos
curtos, generosos.
Mas não tenho coragem.
Não há clima.
(Tá cheio.)
Ele se afasta à frente,
eu faço hora na mesa,
olhando pro copo.
Que ele segurou
com a mão, falou perto.
Melhor: que ele lambeu.
Se não posso ter a boca,
quero a saliva no copo.
Eu quero. Quero. Quero.
Ops.
Ninguém tá olhando.
É agora... Agora...
Agora.
(Passo a mão no copo,
beijo tudo, beijo rápido,
amasso e jogo fora.)

Tela: Bal du moulin de la Galette (Montmartre) - 1876 - Pierre-Auguste Renoir


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.