27 de maio de 2014

Nova forma pra me fazer

Tela: The Birth of Venus (1879) by
William-Adolphe Bouguereau

Para F.S.

No meu dia de Deus,
faria tudo diferente.
Te traria pra minha cidade
e me meteria em nova
forma pra tomar forma
que te agrade.

É a tez queimada
que te consola? Mudo.
São olhos do mar
que te fascinam? Mudo.
Cabeleira loira
pra deslizar teus dedos?
Mudo.
Pernas longas
pra te apertar num laço?
Mudo.
Voz rouca
de locutora de rádio?
Mudo.
Colo de Madalena
nos quadros? Mudo.

(Só não me mexo
nas ancas largas.)

Quanto a ti,
quebraria a forma que te fez,
pra zerar risco
de em vez de 1, amar 2 ou 3.
Tu és único, cabra.
E se me mudo assim é pra vencer.
Eu, que quero tanto te ter...

Tela: Allegorie des Triumphes der Venus
(1540-45), Angelo Bronzino


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).