2 de maio de 2014

Homem-Flor

Tela: SNOW, MOON AND FLOWERS (1820), Sakai Hoitsu

Ele mentiu
pra mim.
Não tem importância:
foi doce ouvir.

Nunca pensei
na mentira assim.
Nem em mim
qual abelha-operária,
no encalço de mais,
no devir.

Que a verdade
escafeda!
Como o pólen perdido
que derrapa
e não germina.

Quero o mel
das palavras
adoçando
fatos,
pra me seduzir.

Nunca pensei
num homem
como flor.
Mas quando
ele disse
o que ouvi,
virei
abelha com ferrão
atrás de doçura,
do florir.

Tela: Studies of Flowers (1848), Jacques-Laurent Agasse


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário