21 de março de 2014

Todos passarão

Fotografia de Ana Paula (acatolica.com)

Fotografia de Ana Paula (acatolica.com)

Acendi a luz
e ele estava
lá,
encolhidinho,
sob a penugem amarela.

"Deve ser
um saco
ser passarinho",
pensei.

De diversão,
3 poleiros,
de bebida,
água insípida,
de comida,
a mesma ração
colorida.

Tive pena
daquele montinho amarelo.

De manhã,
posso ver
nos olhinhos pretos
abertos
(quase não pisca)
o susto
de ser
passarinho preso.

Às vezes,
canta alto;
noutras,
pia baixinho,
como se conversasse
consigo
suas penas.

Como se rezasse.
Se perguntasse:
"Por que tô aqui?".

Não é meu
esse passarinho.

Mansinho, delicado,
tão certinho.

Está na minha casa
de passagem.
Como também
estou.
Como tudo nesta vida.

Fotografia de Ana Paula (acatolica.com)

Fotografia de Ana Paula (acatolica.com)



Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.