3 de março de 2014

"Lavou as mãos diante do povo..."

Fotografia de George Hodan

Escutei o grito
da moça
e supus
perigo iminente.
Na minha boca,
um gosto estranho:
o grito "Pare" apodreceu.

A fraqueza é minha (bem sei).
Ao rimar palavra e gesto,
dei fora: semitonei.

Eis o fardo da omissão:
pela vida afora arrastando
o souvenir dos fatos
que não mudei.


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.