26 de março de 2014

A muralha

Tela: Portrait of Pierre-Auguste Renoir (1867), Frédéric Bazille

Tua testa
enrugada
me atrai
em ti
mais que tudo.

Quisera passar
meu dedo
no percurso
de cada ruga
e com a boca
sobejá-las
de beijos meus.

O que comove
na tua testa
(além das rugas)
é o que ela guarda:
mistérios teus.

Tua testa
é muralha.
Meu desejo:
transpô-la,
a fim de saber-te,
tornar-te meu.

Não vou, contudo,
trair sentinelas
nem tomá-la à força:
traspassarei
com o aval teu.

Assim, num dia,
pra surpresa minha,
terei tua rendição:
tu me dirás (finalmente):
"Teu é o segredo meu".

Tela: Lovers (1875), Pierre-Auguste Renoir


Importante:

Todos os Poemas escritos e publicados no Blog acatolica.com
são sistematicamente registrados
junto ao Escritório de Direitos Autorais (EDA)
da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro (BRASIL).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada por participar.