30 de janeiro de 2014

Super-Molengas, desativar!


Há rapazes que, ao contrário do Papa, não querem NADA

com a dureza: são "super-herois" do comodismo

Foto: grafite anônimo de Francisco como super-herói,
feito em uma rua de Roma (Itália)
próxima ao Vaticano. Fonte: em.com.br

Como mãe de um rapazinho, o tópico me diz respeito diretamente: acerta em cheio como a seta no centro do alvo. Podem ser apenas casos isolados ou uma amostra verificada e autêntica de um fenômeno maior. "O que é, Ana Paula?" É isto: floresce toda uma geração de homens-molenga. O quê? Que p... é essa?

Explico: aqui e ali, pululam exemplos de rapazes sem ambição. E nem falo do famoso sonho de ser "o maior jogador de futebol do mundo, de todos os séculos e séculos". Falo de ambições comezinhas: instalar um chuveiro elétrico; providenciar o conserto de um teto que ameaça verter água no próximo pé d'água ou procurar - e conseguir! - um 2º emprego (já que tem meia hora do dia vaga), a fim de incrementar a renda.

Nossos rapazes - ou alguns deles - preferem "coçar" (sim, fui vulgar) e esperar que tudo se resolva - lê-se: probleminhas cotidianos ou bem mais sérios - por si só. Eles não têm motivação nem força física nem moral suficientes pra tirar o traseiro (xi... Vulgar de novo) do sofá e fazer como muita gente: ir à luta!

Character co-created by Will Eisner.
Image from Wonderworld Comics #3 (1939)

Quando um Super-Molenga, que pode ter canudo ou nem haver passado na porta da universidade, encontra uma mulher financeiramente (friso: financeiramente) bem-sucedida, a mãe dele sai logo com esta: "Até que enfim meu filho achou a 'pessoa certa'! Boa, que vai dar um 'jeito' na vida dele!". Não dá. Não dá mesmo. Um Super-Molenga se contenta em ser sustentado. Ele finge que trabalha e a sua "eleita", a mulher que "conquistou", finge que acredita.

Aliás, os Super-Molengas - que podem até ter emprego, mas que geralmente saltam de bico em bico - costumam estar com um destes 2 tipos de companheira: OU a que depende do (parco) dinheiro dele OU a autossuficiente que, por beirar ou ultrapassar os 50 anos de idade, pensa que não vai "conseguir coisa melhor". Então, todo mundo sai ganhando nesse tipo de relação. Ou perdendo.

26 de janeiro de 2014

Barata Tonta: ele faz 2 anos!

(Fotografia: "Barata Tonta" - acatolica.com)


Sempre AMEI a canção Barata Tonta, de Rita Lee e Roberto de Carvalho. Muito, muito provavelmente é a minha preferida dos dois. Porém, sempre a cantei para um dos homens por quem me apaixonei ao longo de quase 40 anos de vida!... Só após (friso: após) haver me tornado MÃE, percebi que ela foi feita para uma criança! São eles - nossos filhos - que "aprontam" e que "depois nos dão um beijo, nos fazem um gracejo e nos desmancham todas"!...

Para o rapazinho que entrou na minha vida (na minha barriga!) em maio de 2011 e que completa 2 aninhos em 2014, eu ofereço este Post do Blog A Católica. Todas as fotos - friso: todas - foram tiradas em Belo Horizonte (Minas Gerais, BRASIL) e São Paulo capital (BRASIL) entre dezembro de 2013 e 19 de janeiro de 2014 pela mamãe Barata Tonta do aniversariante! Ao final, você pode curtir toda a beleza da canção, através de um vídeo/áudio do You Tube. Boa degustação!

20 de janeiro de 2014

A casa do Salgado Filho

(Fotografia de Shawna Mac)

Não lembrava que o cheiro de cimento molhado fosse TÃO BOM até subir a rua do frei no domingo de sol. Cimento encharcado me leva à casa que eu visitava na infância, onde roseiras faziam fila espetadas em terras socadas em latões quadrados, que - num dia - armazenaram manteiga, óleo de cozinha... Elas ficavam num jardim pequeno, que eu queria que fosse imenso, como aquele em que Alice se embrenhou e acabou parando no País das Maravilhas.

Fotografia de HomeinSalem

Fotografia de HomeinSalem

Cogitei tirar os chinelos 39 e imergir meus pés 33 na água que descia calma e firme no cimento. Mas era tarde, era na rua. (Não sou maluca.) E tinha pressa. Pensando bem: o que me extasiou? O cheiro do cimento molhado ou a visão da água escorrendo qual lençol engomado e transparente? Não sei. Ou sei: as duas coisas.

Foto de 1932, autor desconhecido -
Fonte: Bundesarchiv, Bild 183-2004-0701-501 / CC-BY-SA

Fotografia de Jean Gagnon (2012, Montréal)

Até agora, quando o sol se põe pela enésima vez no Belo Horizonte, carrego comigo a vontade imensa de percorrer o caminho estreito ladeado pelas rosas enlatadas. No fundo e detrás do portão, a voz da Mãe-Ita conversando. Nem ela nem as rosas estão mais aqui. Só tenho o cimento molhado. Que evoca aquela casa e a menina que ficou longe... (Mas que não quero deixar de ser.)



12 de janeiro de 2014

Melhores frases de Francisco no Brasil (JMJ) - Parte 2

Pope Francis at Varginha (Rio de Janeiro, BRASIL) -
25-07-2013 - Fotografia de Tânia Rêgo/ Agência Brasil

Quando descobri por acaso na livraria de um shopping a obra Pronunciamentos do Papa Francisco no Brasil (Paulus Editora; Edições Loyola, 2013), ao custo de apenas R$ 6, sobressaltei de alegria!

Desde que o Santo Padre partiu, que eu vinha torcendo pra encontrar alguma publicação que reunisse tudo o que ele falou oficialmente por aqui. Afinal, como mãe, dona de casa e blogueira, sobra pouco tempo pra ficar fisgando "aqui e ali" na Internet o que quero ler: melhor ter tudo num só lugar!

Assim, comprei Pronunciamentos do Papa Francisco no Brasil e, à medida que o lia, fui grifando o que mais me chamava a atenção.

Neste Post do Blog A Católica, apresento a você as frases que mais me tocaram - tal como elas estão no livro. Os títulos dos discursos e das entrevistas, que dão o contexto de cada afirmação do Pontífice, já são Links para as páginas do Vaticano que os contêm na íntegra. Basta um CLICK.

Espero que saboreie e se sinta motivado a adquirir o volume - são somente 103 páginas. Vale a pena: esse Papa mal chegou e já está fazendo história com cada palavrinha que sai de sua boca. Exagero meu? Leia a seguir o que ele disse no meu país e constate por si. Saúde e Paz!!


P.S. De acordo com a obra da Paulus e da Loyola, ao todo, Papa Francisco fez 20 pronunciamentos oficiais. Este Post traz os 10 últimos. O anterior, que reúne os 10 primeiros, você lê aqui: Melhores frases de Francisco no Brasil (JMJ ) - Parte 1.

Fotografia de Ana Paula (acatolica.com)


Visita apostólica do Papa Francisco ao Brasil
por ocasião da XXVIII Jornada Mundial da Juventude

2ª parte dos Pronunciamentos no BRASIL


Encontro com a classe dirigente do Brasil - Discurso do Santo Padre
Teatro Municipal - Sábado, 27 de julho de 2013

- O futuro exige hoje o trabalho de reabilitar a política; reabilitar a política, que é uma das formas mais altas da caridade.

- Já no tempo do profeta Amós era muito frequente a advertência de Deus: "Eles vendem o justo por dinheiro, o indigente, por um par de sandálias; esmagam a cabeça dos fracos no pó da terra e tornam a vida dos oprimidos impossível" (Am 2, 6-7). Os gritos por justiça continuam ainda hoje.

The Prophet Amos (Amós 1, 1-15) - 1866 - Gustave Doré

- ... Pode haver o perigo da desilusão, da amargura, da indiferença, quando as aspirações não se realizam.

Aqui faço apelo à dinâmica da esperança, que nos impele a ir sempre mais longe, a empregar todas as energias e capacidades a favor das pessoas para quem se trabalha, aceitando os resultados e criando condições para descobrir novos caminhos, dando-se mesmo sem ver resultados, mas mantendo viva a esperança, com aquela constância e coragem que nascem da aceitação da própria vocação de guia e de dirigente.

- Quem atua responsavelmente, submete a própria ação aos direitos dos outros e ao juízo de Deus.

- Favorável à pacífica convivência entre religiões diversas é a laicidade do Estado que, sem assumir como própria qualquer posição confessional, respeita e valoriza a presença da dimensão religiosa na sociedade, favorecendo as suas expressões mais concretas.

- O outro tem sempre algo para nos dar, desde que saibamos nos aproximar dele com uma atitude aberta e disponível, sem preconceitos. Esta atitude aberta, disponível e sem preconceitos, eu a definiria como "humildade social", que é o que favorece o diálogo.

A Fine Point (Sem Data), Jehan Georges Vibert (1840-1902)